Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardim das Delícias



Segunda-feira, 01.08.16

"O calendário não mente ..." - Ethel Feldman

ao cair da tarde 5b.jpg

Ethel Feldman  "O calendário não mente ..."

 

zao wou-ki (1921-2013), 1959a.jpg

(Zao Wou-Ki) 

 

   O calendário não mente, acho eu que esse nunca mente. Os dias definidos como data de nascimento são celebrados ainda que sem corpo presente. Assim sempre foi, diz-se.

Como me canso, rareio. Faz um ano e tanto, e eu tola narro as novidades de meses sem descanso. O mundo? Porque raio quererás tu saber deste presépio, se em boa hora disseste:

- Basta, que estou farto!

Há mais atentados, sabias? E notícias que se repetem à exaustão. Telemóveis aos milhares sempre prontos para a ação. Sem cortes, são os chamados instantâneos da realidade. Uns explodem-se para detonarem em estranhos. É a pouca vergonha deste tempo, que em boa hora disseste:

- Estou farto, basta!

A praia, essa continua quase igual. As árvores também - a floresta que vias da minha sala de jantar. Pelo menos parece ser assim. Meus olhos não conseguem dar conta de uma mudança tão subtil. Um verde que se enamora do amarelo, a raiz que desponta da terra, o xixi dos cães de toda a vizinhança que não sei se queima ou aduba o que nasce sem a mão do homem.

Talvez o clima, com certeza o clima altera-se de dia para dia. Mas quem liga a isso?

Outras notícias? São tão iguais. Aquela miúda foi despedida, apesar de estar a trabalhar há já 5 anos a recibos verdes. O valor da indemnização? Vê-se bem, que já cá não moras há imenso tempo. Um adeus e passe bem. É assim o trabalho hoje em dia. Um enorme favor do patronato.

Mas tu adivinhaste o cenário, ou não terias em boa hora dito:

- Basta, que estou farto!

Do outro lado, por onde vivemos ambos, o rebolado é o mesmo e o povo continua penando. Por lá o gerúndio canta a vida como ela é.

O amor? Há cupidos em todas as estações do ano, anjinhos desnudos sedentos de alvos. Deus deve estar velho, ensinou-os a enviar setas para o céu, onde ninguém que é vivo mora.

Ainda que farto, não podias ter esperado mais um pouco?

Talvez me ajudasses a entender porque há homens nas ruas à caça de bonecos virtuais. É este o hospício de que falavas?

Ok, estavas farto. Eu também.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 14:00


1 comentário

De Augusta Clara a 02.08.2016 às 17:42

Cada vez que chego aqui ao episódio do velhinho da conta falsa parto-me a rir :)

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Comentários recentes

  • Augusta Clara

    Quem é este anónimo?

  • Anónimo

    estás como o vinho do Porto

  • Anónimo

    O anónimo sou eu, adão cruz

  • Anónimo

    Neste momento, o barquito, todo cheio de buracos e...

  • Anónimo

    Oi tudo bem, parabés pelo portal! Tenho uma fabri...


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos