Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardim das Delícias



Sexta-feira, 11.11.16

O Despertador - Tonino Guerra

ao cair da tarde 5b.jpg

 

Tonino Guerra  O Despertador

 

willem van hasselt (1882-1963) la couture dans la

(Willem van Hasselt)

 

   Um despertador exposto sobre um tapete cheio de pó era tudo quanto possuía, para vender, o pobre comerciante árabe. Durante dias, reparou que uma velha se interessava pelo relógio. Era uma beduína, pertencente a uma daquelas tribos que voam com o vento.

«Desejas comprá-lo?», perguntou-lhe um dia.

«Quanto custa?»

«Pouco. Mas não sei se o vendo. Se também este desaparecer

deixarei de ter um trabalho»

«Então porque o tens exposto?

«Porque me dá a sensação de viver. E tu porque o queres, não vês que lhe faltam os ponteiros?

«Faz tiquetaque?», quis saber a velha.

O comerciante deu corda ao despertador fazendo soar um so­noro e metálico tiquetaque. A velha fechou os olhos e percebeu que, na escuridão da noite, podia assemelhar-se a um coração que bate ao lado do seu.

(in Histórias para Uma Noite de Calmaria, Assírio & Alvim)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 14:00




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Comentários recentes

  • Augusta Clara

    Quem é este anónimo?

  • Anónimo

    estás como o vinho do Porto

  • Anónimo

    O anónimo sou eu, adão cruz

  • Anónimo

    Neste momento, o barquito, todo cheio de buracos e...

  • Anónimo

    Oi tudo bem, parabés pelo portal! Tenho uma fabri...


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos