Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Jardim das Delícias



Terça-feira, 06.06.17

Quem deu a mão a quem? - Eva Cruz

ao cair da tarde 5b.jpg

 

Eva Cruz  Quem deu a mão a quem?

 

DSC00063.jpg

(Fotografia de Adão Cruz)

 

   A tarde caía lenta sob um sol coado de nuvens brancas. Uma tarde de fins de Maio com  algum orvalho  temporão a anunciar o fim do dia.

Alguns pássaros voavam de copa em copa. Outros mergulhavam certeiros no ventre  da hera e dos arbustos. Tempo de ninhos e ovos a chocar vida nova, de tenros cachos nas videiras.

No convívio habitual do fim do dia,  na mesa do pátio junto ao tanque, os amigos de sempre saboreavam a merenda  improvisada. A conversa fluía à medida do cantar da água da mina que corria. Arrefecia.

Entre a ramada e a varanda nascera poesia. A delgada leveza de um rebento de glicínia da varanda enroscava-se no talo comprido de uma videira da ramada. Tudo isto sobre o vazio nu da largura do pátio, através do ar, no vazio do nada.

Tão distanciadas, sem mão humana de permeio, assim entrelaçadas,  quem terá dado a mão a quem? Como foi possível este abraço, este nó que nenhuma força desatou?

Artes mágicas da natureza!

Algum serafim ou querubim ali passara. Um duende, um gnomo, qualquer força de moderna mitologia, sabe-se lá. E o pensamento abriu as asas e em toda a liberdade voou.

Terá sido o vento?

O vento tem coração?

O vento tem asas de poesia e sentimento?

Sim. Talvez o vento. Só pode ter sido a força do vento ou apenas uma brisa leve que tenha levado àquela união impossível, de amor tão natural.

Na  sua complexa simplicidade, a natureza é misteriosamente sábia. É um poço sem fundo e no silêncio mais profundo, no silêncio do absoluto, ensina a pensar. Basta ver e escutar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 17:17


1 comentário

De António Gomes Marques a 07.06.2017 às 13:56

Não sei que mais admirar na escrita da Eva. O poder de observação? A poesia das suas palavras? O amor da natureza de que também fazemos parte? Não tenho palavras.
António

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2017

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


Comentários recentes

  • António Gomes Marques

    Não sei que mais admirar na escrita da Eva. O pode...

  • alberto bastos

    Oh quanta verdade! Comungo da totalidade do belíss...

  • Eva

    Obrigada Clarinha pela tua amizade.

  • Clara Reis

    Simples, lindo, sentido e que faz sentir.É assim q...

  • Anónimo

    Lindo, ao estilo da Eva! A saudade descrita como s...


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos