Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardim das Delícias



Quinta-feira, 01.05.14

Maio maduro Maio - José Afonso

 

José Afonso  Maio maduro Maio

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 17:20

Quinta-feira, 01.05.14

Canção do operariado - César Príncipe

 

Primeiro de Maio

César Príncipe  CANÇÃO DO COOPERARIADO

 

 

  Co opErário Esse imenso operaDor Sem ele não temos ópera nem opeRações sem dor Opera todas as máquinas É muito cooperativo Opera computaDores Supõe-se um executivo Funda cooperativas Busca coopeRação Coopera em cantigas Paga as letras da canção Pertence ao operariado muitas vezes sem saber Porque tanta coopeRação não dá bem para entender Pertence ao operariado muitas vezes sem querer Porque tanta coopeRação só dá para empobrecer Já foi herói proletário Termo meio bolCHEvique O tratamento moderno é telecomando-chip Diz-se profissional Técnico e funcionário Também recurso huMano Unidade de trabalho Mas afinal (ele) é um grande operacional Ele opera e coopera Sem ele ponto final Fica assente Meus Senhores O que é um operário Sem gravata e com gravata Morre a viver do salário Peça da engrenagem Produto da produção Faz o carro e faz a estrada Faz a mesa e faz a cama Coopera até na morte fabricando o seu caixão

 

Uns chamam-lhe ParafUso Outros GloBalização

 

 

Poema de César Príncipe, Correio Vermelho, 2008, Seara de Vento.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 12:00

Quinta-feira, 01.05.14

O sol quando nasce… - Adão Cruz

 

 

(Adão Cruz)

 

 

Primeiro
Único
Verdadeiro
Maio acordado
Penoso
Duro
Forçado
Floresta de braços e abraços
Festa dor do Maio primeiro
Carne e alma
Seio fecundo
Onde corre o leite que alimenta o mundo
Ir e voltar
A ir e a vir
Noite e dia
Penoso caminho da vida inteira
Para prender um braço de sol
Entre mãos crispadas
Calejadas
Calor que os filhos aquece
Calar da fome que os adormece
Luta que não esmorece
Na esperança de outros sóis
Medos e canções de Maio
Maio de sempre
No fundo dos corações
Terra vida
Vida de todos que amam a terra
Na palma da mão
Aberta e solidária
Festa da alegria
Maio dor e lágrimas
Nunca Maio da agonia
Sol inteiro roubado
Sol do acordar de Maio
Incandescente
Que o sol será de todos
Maio de sol nascente

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 08:00

Pág. 11/11




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Augusta Clara

    Anónimo, quem és tu? (lembrei-me do "Frei Luís de ...

  • Anónimo

    Texto excelente. Bem escrito, bem documentado e be...

  • Anónimo

    Texto de excelente e deliciosa "prosa poética"!...

  • Anónimo

    Bravo, plenamente de acordo!

  • Anónimo

    Eu agradeco-lhe a ideia de transcrever aqui este b...


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Filmes

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos