Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardim das Delícias



Segunda-feira, 04.12.17

Ao fim da tarde - Adão Cruz

ao cair da tarde 5b.jpg

 

Adão Cruz  Ao fim da tarde

image002a.jpg

 

(Adão Cruz)

 

Ainda é dia ao fim da tarde, ainda há uma réstia de sol no horizonte.

Entre o fim do dia e a morte ainda há uma ponte onde mora o frio, mas onde o coração bate ao som das luminosas águas de um rio.

Não te posso responder a quente senão choro…o que há muito não acontece.

À margem da realidade, na magia de um sonho impossível que esmorece, nada mais consigo do que estender meu braço e tocar os dedos da tua mão firme.

Mas tudo muda e resplandece e se acende dentro de mim, no frágil redemoinho das palavras que disseste e só a alma entende.

A música sorridente do teu rosto canta bem fundo na alma nua da utopia que ilumina a ponte da tristeza e da agonia.

Não saias dos meus olhos e deixa-te estar um pouco mais sobre esta ponte do fim da tarde, em que ainda é dia e há uma réstia de sol no horizonte, deliciosa mentira de uma primavera tardia.

No castelo sideral da fantasia, ainda hoje habito entre os teus olhos e o infinito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 14:00




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Comentários recentes

  • Anónimo

    A pérfida Albion, depois de ter sido a maior usurp...

  • Augusta Clara

    Por favor, assinem os comentários. Não há nada mai...

  • Anónimo

    quando o próximo livro?

  • Anónimo

    "há muito que não saía à rua..." e não via os movi...

  • Anónimo

    Um bom poema desanimado tem um destino, talvez pro...


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos