Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jardim das Delícias


Segunda-feira, 20.04.20

HOMENAGEM - Adão Cruz

 

smn.jpg

 

Abril abriu muitas portas, por uma delas passou o Serviço Nacional de Saúde que, justamente, se enaltece no dia da Liberdade. Nesta data histórica, a Direção do Sindicato dos Médicos do Norte realça a importância de um Serviço Público de Saúde universal e inclusivo, sem o qual não seria possível o combate sem tréguas à epidemia que nos assalta.

A Direcção do SMN

 

Adão Cruz  HOMENAGEM

   Sou médico há 56 anos. Lembro-me de sentir muitas vezes na minha vida profissional, vida que procurei levar o mais eticamente, o mais competentemente, o mais dedicadamente e conscientemente possível, desilusões e mesmo algum sentimento de desonra em pertencer à classe médica. Tudo isto, por comportamentos desviantes dentro da própria classe, dentro da sua especial missão de vida, que feriam o nosso principal tesouro, a dignidade e o profundo sentimento humanista.

Sempre tive e ainda tenho muitos amigos das mais diversas profissões, desde trabalhadores mais humildes até cientistas, empresários, políticos e banqueiros. A todos, de formas obviamente diferentes, nunca os deixei de homenagear com a minha leal e sincera amizade, e com o reconhecimento e admiração por muitos exemplos das suas vidas. Porém, esta pandemia que hoje está a roer a nossa existência individual, familiar e social criou em mim, no meio de todos os males, sentimentos que eu nunca havia experimentado de forma tão emocionada e profunda. Por isso a minha homenagem, nesta altura, a todos os profissionais de todas as áreas, amigos e desconhecidos, não pode caber dentro de limites, pois em situação tão complexa, tão intrincada e tão interactiva, é muito difícil separar os mais importantes dos menos importantes.

Nesta infelicidade que nos bateu à porta, há, no entanto, uma multidão de seres humanos que me levaram, indiscutivelmente, à reconquista de uma honra especial em pertencer à sua classe, a classe médica e o Serviço Nacional de Saúde. Um Serviço Nacional de Saúde, fruto do glorioso Vinte e Cinco de Abril, prestes a ser celebrado, um Serviço Nacional de Saúde que abrange políticos, autoridades sanitárias, administrativos, médicos, enfermeiros, auxiliares e pessoal mais anónimo, todos imprescindíveis ao seu funcionamento e ao seu mais sólido e nobre futuro. A todos a minha homenagem.

Fiz cuidados intensivos há largos anos, quando as unidades de cuidados intensivos começavam a aparecer, de forma muito primária, comparadas com as de hoje. Mesmo assim, senti bem fundo a responsabilidade e a abnegação que elas exigiam. Por isso, não me levem a mal que eu deixe aqui uma homenagem muito especial, acima de todas as homenagens, ao trabalho de todo o pessoal que de uma forma heróica dedica as suas vidas, nestes dias tão negros, à prática intensivista, em Portugal e fora de Portugal. São para mim, sem margem de dúvidas, os Heróis da actualidade, aos quais cada país, depois da vitória, deveria erguer o mais majestoso e merecido monumento.

20.04.2020

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 19:15

Quinta-feira, 17.07.14

Médicos denunciam que Israel testa armas proibidas em Gaza

 

 

Médicos denunciam que Israel testa armas proibidas em Gaza

 

 

 

 

Com informações de Télam e RT - Oriente Mídia

 

Um médico europeu e autoridades palestinas denunciaram o uso de um tipo de munição muito mais letal por parte do Exército israelense, em sua nova ofensiva contra a Faixa de Gaza. O diretor-geral do Ministério da Saúde palestino, Abu Rish Yusef, também denunciou que o Exército israelense está usando em Gaza armas proibidas por convenções internacionais.

   Erik Fosse, professor de cirurgia da Universidade de Oslo, disse à agência de notícias EFE em Gaza que se trata de projéteis que ao explodir no chão desprendem tanta energia que podem amputar a parte inferior do corpo e causar queimaduras graves.

 

“É um tipo de bomba de pequeno diâmetro projetada para matar com mais precisão e que causa um tipo de feridas particulares”, disse desde o hospital Al Shifa, em Gaza, onde trabalha como voluntário.

 


‘Estas bombas são lançadas de aviões não tripulados e, ao impactar no chão, liberam uma descarga de energia e de estilhaços que despedaça a parte inferior dos corpos das pessoas atingidas”, disse Fosse, que tem mais de 30 anos na profissão, e trabalha com a ONG norueguesa NORWAC.

Fosse, que cursou parte de seus estudos na Universidade Complutense de Madrid, disse que alguns dos “cadáveres não têm pernas e tem centenas de queimaduras (produzidas) por pedaços de metal líquido muito quente”.

Um especialista legal militar israelense disse à EFE que Fosse já fez acusações semelhantes no passado “que se revelaram falsas” e insistiu que seu país “respeita as leis da guerra “, mesmo quando considera alvos legítimos as casas dos militantes palestinos em Gaza.

O porta-voz da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ihab Bassiso, expressou hoje sua preocupação com o tipo de armas usadas por Israel na terceira ofensiva contra o Hamás desde que, em junho de 2007, o movimento assumiu o controle da Faixa de Gaza.

“Esta manhã, recebemos um comunicado do Ministério e dos médicos do hospital que afirmam ter testemunhado uma nova classe de feridas. Não temos certeza sobre o tipo de armas que as causam “, disse.

“O que foi visto é que são mais letais, mais prejudiciais, e causam feridas por todo o corpo. Eles não têm certeza sobre o tipo de armas que foram usadas” disse Bassiso, que lembrou o episódio de fósforo branco em 2008 e salientou que os peritos internacionais “estão investigando”.

“Vamos apresentar os resultados da investigação que as organizações internacionais e defensores dos direitos humanos, que trabalham no terreno, estão levando a cabo sobre este tipo de feridas. A população civil também afirma que “o tipo de bomba usado é diferente”, acrescentou.

Fosse, que já foi médico voluntário na ofensiva israelense contra Gaza em 2008-2009, também informou que a segunda grande diferença entre as duas operações é que, na atual os ataques israelenses a edifícios administrativos e casas particulares são regulares.

 

“Temos três tipos principais de lesões: as que são produzidas pelo impacto dos mísseis, as provocadas por armas de menores calibre e os traumatismos provocados pelo desabamento de tetos e paredes”, explicou.

 

“Está relacionado com a ideia que defende Israel: disse atacar esses lugares porque são “centros de comando do Hamas”, mas na realidade muitos deles são civis”, argumentou.

 

Médicos afirmam que Israel usa armas proibidas que provocam câncer

 

Médicos e profissionais de saúde encontraram nos corpos de mortos e feridos “restos de armas de destruição massiva ilegais sob a lei internacional”, disse Abu Rish numa conferência de imprensa no hospital Shifa, em Gaza.

 

“Um alto número dos mortos e feridos, vítimas dos ataques israelenses, tanto da artilheria dos tanques, aviões ou navios de guerra apresentam queimaduras internas e ossos quebrados”, afirmou.

 

O médico norueguês Erik Fosse, que trabalha em Gaza, disse também aos jornalistas que Israel estaria usando armas que causam câncer.

Além disso, declarou à Press TV que a maioria dos pacientes internados em Gaza são civis feridos em ataques contra seus lares e cerca de 30% deles são crianças.

Especificamente os médicos sugerem que poderia se tratar dos chamados explosivos de metal denso inerte (DIME, na sigla em Inglês), uma arma experimental cujo alcance é relativamente pequeno, mas cuja explosão é extremamente poderosa.

Já em 2009, Fosse e Mads Gilbert, outro médico da equipe norueguesa que atendeu os feridos no sitio à Faixa de Gaza durante a operação israelense “Chumbo Fundido” na qual cerca de 1.400 palestinos foram mortos, denunciaram que Gaza estava sendo usada como um laboratório de novas armas e que os israelenses estavam usando justamente DIME.

O diretor-geral do Ministério da Saúde palestino pediu à ONU e à comunidade internacional que um comitê de especialistas investigue o que acontece e documente as violações israelenses dos tratados internacionais e das convenções de Genebra.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Augusta Clara às 08:00



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Agradecia que se identificasse. Quem escreveu este...

  • Anónimo

    Gosto substancialmente de pessoas que dizem bem ou...

  • Anónimo

    Texto e foto deliciosos, parabéns!

  • Anónimo

    Palavras como dinamite.E passados 50 anos sobre os...

  • Anónimo

    Lindo!


Links

Artes, Letras e Ciências

Culinária

Editoras

Filmes

Jornais e Revistas

Política e Sociedade

Revistas e suplementos literários e científicos